terça-feira, novembro 01, 2005

Nostálgicos sem cura.

A noite nem prometia muito, afinal era só um concerto de um gajo que eu já tinha visto, mas ele continuava com tudo o que eu tinha gostado na primeira vez que o vi. Foi uma noite inteira de recordações, de memórias sem retorno. Mergulhamos pela noite, começando pelo subtil Antony e acabando em completa Al-gazarra por aquele Irish Pub de outras tantas recordações. Tudo demasiado depressa, como devia de ser sempre para não doer. A noite, a noite foi dominada pelos nostálgicos sem cura.

2 comentários:

Paris disse...

Também a minha mesma noite foi dominada pela nostalgia de danças andantes. Fui dançar a europa, pelo teatro ibérico. Sorriso parvo sempre estampado na minha cara. Recordações? Muitas e boas, de passos por lugares desconhecidos no norte, em tempos de verão.

Carapuço disse...

estou a aprender a ser uma nostálgica de lua a fazer de chapéu. Estou a gostar...